quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Som do coração













Quero poder contemplar sua melodia

Sentindo em meu peito toda harmonia

Que há tempos meu coração não sentia


Feliz de quem tem a oportunidade de escutar essa sinfonia

Porque volto senti-la divina e com muita alegria

Tocadas meigamente por ti, bela Cellista


Lindos cabelos negros e suaves como a noite

Olhos amendoados de pura vida

De gostos simples e refinados

Iniciaram a inspiração em meu coração


Sei que são palavras fortes para início da alvorada

Mas aprendi que coisas do coração não se explicam

Sinto a pureza infantil sem deixar a maturidade de lado

E ao som de Piazzola, encerro meus sinceros versos

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Divagações















Não é fácil viver essa aventura chamada vida terrestre. Atribulações, repetições dos mesmos erros e decepções. Procuramos incessantemente nosso lugar nesse mundinho pequenino que muitas vezes o tratamos como “faz de conta” para que possamos sorrir de um sorriso amarelo e artificial. No fundo, sabemos o caminho verdadeiro da felicidade, mas por questões sociais e culturais deixamos oportunidades felizes de lado para poder ser “legal” e “da hora” com nosso meio. Em minhas reflexões diárias eu penso em quanta besteira fazemos na vida e como deixamos nosso ego selvagem e pobre vencer nossa sabedoria. Sinto-me limitado e muitas vezes idiota por seguir certos caminhos tortos que já sei que não irá levar a nada. Vocês que estão acompanhando isso, pensem, quantas vezes foram uns “animais” e deixaram as paixões empobrecidas te dominarem, tornando-os infelizes e dependentes de todas as naturezas inferiores?

Vejo pessoas inseguras ao ponto de jogar amizades fora para viver a utopia de que o amor é restrito a uma única pessoa. Não sabem compartilhar e viver a vida em todos os aspectos como a amizade, o coleguismo, a lidar com encontros inesperados do cotidiano, etc. Fechamos em nosso mundo imaginando que somos seguros nele. Grande ilusão meus caros! A maior ameaça está dentro de nós mesmo e é lá que devemos trabalhar para sermos altivos e serenos em nossas relações. Somos aquilo que permitimos. Nunca esqueçam isso.

Vivemos atribuladamente querendo e desejando algo que às vezes nem sabemos por que o queremos. Vícios sociais que adquirimos e acabamos assimilando de forma a tratar o ser humano como seres de consumo. Não nos apaixonamos mais. Compramos homens e mulheres alienados com seus ritmos “malucoides” e insanos. Os atributos materiais e de comportamentos sociais tornam-se maiores que os sentimentos de ternura, companheirismo, carinho, amizade e dedicação. Não sabemos viver simples. Precisamos ser complexos para que camufle nossa pobreza de ser que somos. Quem realmente se conhece, vive para amar. Sabe se doar com simplicidade e serenidade. Sabe esperar o momento. Aproveita melhor as oportunidades. Será que não é hora de rever conceitos meus caros?

Um grande mestre do passado nos disse que devemos ser puros como a criança. Isso significa que devemos ser honestos conosco mesmo. Não confundir com ingênuos e ignorantes. A criança é pura, absorve novas idéias sem preconceito, dá carinho, sorri convulsivamente com o palhaço, e acima de tudo, dá sempre um abraço de boa noite dizendo que nos ama. Nunca esqueçam, façamos da conduta infantil o nosso próprio pilar de atitude para que continuemos sempre eternas crianças em nossos corações.

Existem momentos da vida que precisamos reciclar comportamentos e controlar atitudes, mas sem prejudicar ou ofender a outrem. Toda vez que procuramos renovar causamos resistência e até sofremos tentações para desistir, mas se mantermos a convicção e serenidade traremos a nós ótimos frutos, de atitudes com mais discernimento e sabedoria. Por isso o silencio, um bom livro, uma música para o eu interior ajuda e muito nas nossas reflexões. Traz calma aos corações e intensifica os rumos alicerçando nossa caminhada, deixando-a menos penosa e árida.

Há dentro de nós vários Oasis que nos auxiliam cotidianamente. Utilizemos sem medo. Lá encontraremos a água para saciar a cede, a sombra confortante do sol escaldante e as estrelas, que no calar da noite, brilham nos orientando os caminhos necessários da jornada rumo à felicidade plena.

10 Anos de Renovação e Atitude














Mocidade que renova a vida

Oriente a juventude espírita

Console nos momentos de provação

Internalize os caminhos de Cristo

Dai-lhes a paciência necessária

Acaricie com sua mão protetora

Derrube a ignorância da imaturidade juvenil

E desperte as consciências para as lições imortais


Expurgue a mazelas infrutíferas da mente

Saneie a impurezas dos atos menos felizes

Produze-lhes os frutos da semeadura planejada

Interrompe os vícios maledicentes da alma

Resgate a alegria de viver com dignidade

Incorre aos flagelados dando-lhes a oportunidade

Trabalhe incansavelmente a causa espírita

Alicerçando as bases do porvir


Renove as idéias arcaicas com sabedoria

Exemplifique o amor às almas aflitas

Norteie os incrédulos à caridade

Organize as tarefas com justiça

Varre a iniqüidade da soberba

Alimente aqueles que têm fome de crescer

Cede seu tempo para ensinar quem quer aprender

Arrebanhe as ovelhas desgarradas

Ordenando-as para a vida espírita cristã


E


Ame incondicionalmente a vida

Tolere os erros elevando-lhes a reflexão

Intensifique a vigilância interior

Traga aos corações os sentimentos mais sublimes

Une a humanidade com raios de amor

Direcione a humanidade sublimando o amor

Edificando o futuro das religiões


Autor: André L. Salgado

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Luz












Eu vi a luz
Eu senti a luz
Eu persegui a luz
Eu vivo a Luz
Eu sou a Luz

Ditador por: אנדרו סלגאדו

O Consolador – Diante da Eternidade



















Morada Excelsa de luz

Na expectativa de presenciar o verdadeiro amor que me conduz

Encho-me de júbilos na imortalidade

Pensamentos de pura sublimidade


Fluidos etéreos de puro amor

Vivencio enfim, o verdadeiro sentido do labor

Sinto-me mergulhado no mar de eterna calmaria

Tendo como pensamento, a expressão plena de sabedoria


...mundos superiores!


Rodeado de pensamentos de amabilidade

Cerram-se os véus da materialidade

Vejo nessa nova paisagem

Infinitas possibilidades que se abrem


Luzes emergem de todos os cosmos magníficos

Jesus é o mestre consolador e irmão dos aflitos

Apresentou-se como ser de notória perfeição

Fazendo-se limitada minha linguagem ao exemplificá-los tal glorificação


Como foras prometido em época de iniqüidades

Envolto de magnânima felicidade

Soa sua voz terna e compassiva

Convidando-me paternalmente e altiva


“Hoje estás comigo no paraíso, meu irmão”


Como novo espírito iluminado, sou anunciado em seu clarim

Vibrações suntuosas apoderam-se de mim

Sentidos ignorados abrem-se como velas ao vento

O cenário divino se apresenta colocando-me como advento

Sendo novo mensageiro dos irmãos desamparados

Trabalhos de profunda sutileza serão designados

Mundos sedentos de amor me aguardam fraternal

Pois são chegados os tempos de servir a humanidade universal


Ditado por: אנדרו סלגאדו

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A Dama da Noite















Lua brilhante

Candeia nossa estrada itinerante

Clareia-nos para que não sejamos mais um figurante

Desta vida árdua, mas deslumbrante


Lua de amor

Vigie nossos pensamentos de dor

Ampara-nos na escuridão com seu louvor

Alimentando nosso espírito de amor


Lua escaldante

Lance sobre nós tua luz dignificante

Esperança que se faz constante

Em nossa vida errante


Lua de sol

Coloque-nos em seu rol

Torna-nos seres de escol

E guia-nos como o sol ao girassol


Lua perfumada

Que sempre nos inspira à pessoa amada

Libere sândalos e jasmins em nossa morada

Para que o sublime amor exale em nossa jornada


autor: André L. Salgado

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Linha do Tempo













Dubai, 25 de dezembro de 2075.


A vida como você conhece não enternece mais. Não existe mais abundância de alimentos e carece água para mais de 5 bilhões de pessoas ao redor do mundo. O rio Nilo desaparece das lentes dos satélites mais poderosos que o homem já criou. A terra engole a esperança do deserto e faz chorar gerações milenares que escreveram mitos e cânticos eternos de amor as suas nações. O silêncio do deserto se faz mórbido e tempestuoso. Alguns míseros Oasis garantem a vida de alguns nômades que desconhecem os efeitos devastadores que a humanidade está passando.


Geógrafos e cartográficos redesenham o mapa mundial anunciando as novas linhas continentais do mundo. O que era Antártida se tornou oceanos navegáveis. Os limites costeiros se estenderam para dentro em 100km. Cidades como Rio de Janeiro, Nova York, Hong Kong e Los Angeles não fazem mais parte da história humana. Tornaram-se as “Novas Alexandrias” da atualidade, assim como países como Holanda e Bélgica deixaram suas riquezas no fundo dos oceanos. O processo de dessalinização dos oceanos é praticamente o melhor recurso encontrado, mas que poucos têm acesso devido aos altos custos do processo. As qualidades dos alimentos caem bruscamente devido as altas temperaturas e vários fenômenos meteorológicos que modificaram os climas mundiais. Solos onde fertilizavam normalmente se tornaram pântanos. Terras que nunca se encontraram com o mar, agora estão passando por um processo químico em seus solos modificando a flora e a fauna.


Os processos de modificações ambientais transformaram a vida dos povos em seus habitats, exigindo um êxodo para outras regiões mais similares as suas culturas. Xenofobias e intolerância culturais devido às migrações causam problemas sociais, principalmente no âmbito da violência. Guerras civis constantes irradiam por vários setores geopolíticos da humanidade. Traz consigo, mudanças econômicas e políticas, exigindo de seus eleitos e empresários, muita sabedoria para diplomar em busca do equilíbrio mercadológico. Infelizmente, mesmo em um mundo mudado, alguns ainda insistem em tirar proveito da situação calamitosa que o mundo está passando. Mas reduziram bastante com relação a sua época. O sofrimento coloca a população em alerta constante e percebo que realmente algo deve ser feito para que a espécie sobreviva.


Reuniões entre líderes mundiais se tornaram mais constantes. Os conselhos do Sul e do Norte, como são chamados em nosso tempo, traçam as novas diretrizes da humanidade. Chegamos em um período de mudança social de ordem mundial. Projetos tecnológicos voltados a sociedade estão em alta nessas discussões. A mundo está passando por uma virada mental sem precedentes. Como disse acima, não há espaço para corrupção. As vidas de todos estão em risco, apesar de haver ainda desigualdades sociais. Mas há esperança na humanidade. Apesar da turbulência em que vivemos, há em todos os corações o desejo de sobrevivência. Aos poucos o poder vai perdendo forças para a cooperação. Vejo um mundo promissor para o futuro, e esse sentimento, apesar de ter relatado só intempéries, é um fato incontestável. Só você estando aqui para sentir o que meu coração vê. Paz e dê muito amor aos seus netos. Será importante para mim.


Demétrio Salgado

terça-feira, 10 de novembro de 2009

O Consolador - A Ascenção

















Passaram-se centenas de anos terrenos
Conservo-me em regiões de paz
Relembrando sempre o dia da luz celestial
Que me arrebatou do torpor quase indissolúvel

Reencarnações de expiações e provas
Lapidando meu interior vazio e escuro
Veio acalentar dando-me diretrizes à mundos vindouros
Mostrando-me o caminho infinito de progresso

Oh Luz de misericórdia!
Passei vidas em sua busca
Na esperança de senti-la mais uma vez
Rompi os entraves amargos da vida

Hoje compreendo meus feitos
O sofrimento, meu companheiro
Que me despertou o coração ao eterno
Resignando-me ao exercício do perdão

O trabalho se tornou meu pão espiritual
Meus irmãos tesouros imortais
O abraço sem brilho do passado
Tornara-se o pilar da caridade

Neste momento de ascenção
Marcho rumo ao infinito
O amor reina em meu coração
Limpo de toda a selvageria e animosidade

Chegou-se a hora de partir
Meu entusiasmo toma conta de mim
A luz salvadora de outrora
Reluzirá diante de mim finalmente

Não me contento de alegria
Logo estarei contigo...

O Consolador - desespero e libertação















Tempos que não retornam mais

Vida esquecida e amargurada

Passado negro de minha aurora

Infância cega de esperança


O orgulho minha devoção

O egoísmo como exercício diário

Mistura cretina e mordaz

Ocultando os sublimes valores de progresso


Desacreditado e solitário

Enterro profundamente o ser pulsante

Inundando o coração de lodo fétido

Afastando velhos amigos de outrora


Ronda-me o silêncio absoluto

Cerra-se o cenário de luz

Uma escuridão absoluta me ronda

O calor transforma-se em frio subitamente


Desespero e angústia

Sentimentos trevosos me alicia


Meus gritos são inaudíveis

Não existem mais sentidos

Somente meus pensamentos lamentosos

Cercado de uma prisão dilacerante


Sinto-me no maior dos pesadelos

Acorrentado em mim mesmo

Rogo pela primeira vez aos céus

Num grito de misericórdia...

Somente Hoje


Hoje à luz do presente. Dia como este dia em toda a vida, terás este somente. Recorda isso e atende a todo o bem que desejas fazer. Prestação de serviço em socorro de alguém, atenção no dever, felicidade e paz, esperança e carinho, que aspires a plantar e lances no caminho, alegria, favor, dádiva que pretendas ofertar, relações que precisas recompor, gentilezas no lar, trabalho, o mais singelo e aquele que mais custe revisão, reajuste, corrigenda, perdão, provas de estima e consideração, apoio espiritual, em simples frases nas tarefas que abraces e abençoes, que nada disso atrases nem deixes que fazer para depois. Porque o tempo não volta, contando sempre aquilo que se fez e dia igual a hoje, só terás uma vez.

Chico Xavier

Mensagem de amor
















Não poderia deixar de colocar tamanha mensagem de amor que com muita felicidade a deixo postada como exemplo de espiritualidade a todos os leitores. Quando leio essa palavras, sinto-me amado e respeitado. Feliz de ter parentes de sangue e de alma que sempre me auxilou na caminah da da vida. Obrigado pelas palavras e que fiquem postadas eternamente como fonte de gratidão pelo seu amor e carinho

Beijus


"Querido André,

Perdoe-me pela demora da minha resposta, mas a correria é realmente imensa. No entanto, desde quando recebi este e-mail tenho pedido muito por vc durante as tarefas. Quanto a falar com a entidade que me direciona, apenas no dia 23 deste mês é que estarei com ela. Não creio que seja possível uma orientação como a que estou recebendo, pois ele precisaria vê-lo para tal, mas de qualquer forma conversarei com ele sobre vc.

Pelo que conheço a seu respeito e pelo que sinto quando estou próxima a vc, o que sente é o chamamento do despertar. Todos nós médiuns recebemos a incumbência de cumprirmos com determinadas tarefas, mas os envolvimentos do mundo... Pois é, cedo ou tarde o chamado vem, mas para compreendê-lo temos que entrar em sintonia com a espiritualidade que nos guia. Como conseguir tal contato???

Na realidade é bem simples, Kardec é bem claro em suas obras quando afirma que nós precisamos estudar sempre, não há compreensão da espiritualidade sem muita dedicação. Isso não significa que devemos deixar de viver, mas com toda certeza, teremos que escolher entre o mundo e nossa evolução. A espiritualidade que nos guia só é percebida por nós a medidade em que mudamos nosso senso de moralidade, o que inclui nossos sentimentos/pensamentos e atos. Se vc prestar bastante atenção verá que 99% dos seres deste mundo estão perdidos, sentem um vazio que não sabem explicar de onde vem, mas vem da própria consciência que nos busca o despertar. Não tenha dúvidas André de que não estamos aqui para vivermos uma vida "comum", não, estamos aqui para cumprir missão e muito trabalho. O mundo passa por uma fase de tranformação muito intensa em que nós, os trabalhadores da última hora, já não dispomos mais de tempo, pois nossa tarefa está aí.

Foi exatamente o que me disseram, que eu não tinha mais tempo tamanha necessidade que eu tinha de despertar para meu trabalho. Vc deve estar passando agora pelo mesmo. Confome vamos evoluindo não é mais admitido por nós mesmo, o que é muito interessante, que permaneçamos com os mesmos hábitos e sentimentos, não temos mais tempo agora para deixarmos para a próxima encarnação nossos comprometimentos passados. Vc sente falta de uma direção, de alguma comprovação do porquê dos sentimentos que possui.

O que posso lhe adiantar é que vc deve continuar estudando fimemente a doutrina e procurar um local adequado para desenvolver sua mediunidade e assumir o seu trabalho neste mundo que, com certeza lhe será mostrado se vc se colocar a favor do plano maior. Somos pura energia e TUDO que fazemos/sentimos nos traz para mais perto ou mais longe do que realmente fomos criados para ser: FELIZES. Não esta felicidade ilusória que conhecemos, mas sim a felicidade real que só pode ser encontrada através da caridade.

Digo-lhe isso, porque sei que vc pode me entend er muito bem. Vc tem muito potencial e é um espírita convicto também. Só precisa se centrar mais e amadurecer espiritualmente. Confie em mim e não perca mais tempo, nada neste mundo se compara com o que vem do plano maior. Hoje, através das minha novas tarefas compreendi isso e luto intensamente por chegar a minha evolução. Sempre senti este mundo um grande vazio de amor, paz e felicidade e, hoje sei, que não pertenço a este mundo, mas que estou aqui para ajudar e aprender muito.

Minha sensibilidade aumenta a cada dia e tudo está ficando cada vez mais claro. Confie, peça a seu mentor quando for dormir para que ele lhe leve para os educandários da espiritualidade, peça para ajudar nas tarefas do outro lado e peça orientação, mas lembre-se, o que fizer/sentir durante o dia lhe dará a condição para tal. Mantenha-se em sintonia e livre de qualquer toxina que o impeça de filtra a energia maior.

Assim que tiver mais orientações escrever ei para vc!

Muita paz, e um grande e saudoso abraço desta tua irmã de alma,

Rose"

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Eu quero...















Eu quero amar e ser amado
Eu quero conversar da vida
Eu quero viver sorrindo como um sonho lindo
Eu quero um cafuné de carinho
Eu quero um beijo de ternura
Eu quero falar o que eu penso
Eu quero paz de espírito
Eu quero me doar ao próximo
Eu quero vigiar seu sono com devoção
Quero olhar em seus olhos com apreço
Quero convidar para um jantar delicioso
Quero assistir um filme contigo
Quero sentar ao ar livre e desenhar o céu
Quero segurar a mão e me sentir seguro ao seu lado
Quero cultivar o amor com você
Quero rejuvenescer meu coração com poesias em seu nome
Quero deitar agarradinho e sentir seu perfume delicioso
Quero te cobrir no acalanto da noite
Quero ver o sol te iluminar em seus primeiros raios
Quero ter motivos pra proferir palavras de amor a ti
Eu quero...
Quero...
...

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Sol da Vida















Miro a fresta singela de uma janela

Tímido fio de luz transpassa o interior

Nasce mais um dia de alegria

Raiando o sol da sabedoria


Abro meus olhos para plenitude

Desperto meu sentidos para o som do alaúde

Conversas, risos e comércio na praça

Tempera as manhãs com muita graça


Ansioso, espero o hospede ilustre

Asseie-me e vesti-me em túnica alva

Organizei o lar com muito amor

Na expectativa daquela manhã de louvor


Eis que surge a brandura de sua face

Eis que exala os perfumes mais ditosos

Eis o mestre com seus cabelos de bronze cintilante

Eis os primeiros raios luminosos da eternidade


Meu coração não se cabia em mim

Naquele momento enternecido

Lágrimas de amor rolaram pela minha face

Limpando os prantos amargos de minha alma


Nunca mais o abandonarei

Levarei seu legado a todas as criaturas

Contarei histórias de amor em seu nome

E jubilarei sua figura para todo sempre


Amo-te senhor de todos os senhores

Amo-te luz dos desvalidos

Amo-te senhor das estrelas

Amo-te pai de todas as moradas


Nunca mas esquecerei aquela figura singela

Levarei comigo a imagem do fraterno

Rebanharei os aflitos em meus braços

Encaminhando-os para os reinos de puro amor

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Desavenças
















- Pesteeeeeeeeee! Some da minha frente. Não quero mais te ver seu verme asqueroso!

Palavras de ódio pairam sobre o ambiente caseiro, atormentando aqueles que estão nas redondezas. Energias carregadas de sofrimento emanam do recinto, mutilando as almas infantis.

- Eu vou te matar desgraçada. Você que ousa atirar minhas coisas a deriva. Sua Vaca!

Prantos de sofrimentos escorrem em dilúvios nos olhos daquele ser que acabara de vir ao mundo. Eu vejo a cena e não posso fazer nada. Uma tristeza corta meu coração apertando-o contra minhas entranhas, dando-me uma sensação de falta de ar. A situação me impressiona. Não consigo mais volitar. Sinto a gravidade densa em volta daquele recinto.

- Você destruiu minha vida. Você é o responsável pela desgraça de vida que tenho!

Nesse momento a desiludida mulher agacha-se ao chão denotando o esgotamento psíquico. Percebo a palpitação cardíaca acelerada pela adrenalina excessiva. Toxinas de todos os tipos são sintetizadas pela nossa companheira no qual neste momento percorre todo o corpo, destruindo as células saudáveis que outrora a sustentava pela altivez e força. Vejo em minha frente uma mulher amarga que ignora totalmente a sua capacidade de se amar. Não consegue enxergar a Luz que brilha em sua frente, deixando que a escuridão a cegue em sua visão do espírito.

- Ousa a fazer algo sua megera! Quem coloca dinheiro nessa casa sou eu. Você depende de mim pra sobreviver e fará o que eu mando aqui nesta joça de casa.

Com os olhos estalados, concentra-se grande parte da corrente sanguínea no globo ocular denotando duas balas engatilhadas a fim de feri-la moralmente e devastar todo o âmago daquela mulher. A raiva toma conta daquela criatura que vive a anos na escuridão sem perceber uma luz promissora. Cria-se em sua face, um campo magnético, atraindo microorganismos parecidos com fungos, que exalavam um odor fétido. Em volta da casa sobrevoava aves negras atraídas pelo mau cheiro, prontos para dar o bote e saciar sua animalidade exacerbada. Um líquido preto dá vazão pelas extremidades daquele homem, denotando certa viscosidade, que faria qualquer indivíduo ser induzido ao vômito.

Adentra-se pela casa uma névoa acinzentada obscurecendo os móveis e isolando as criaturas do campo da visão espiritual. Nesse momento, a criança entra em pranto ao sintonizar com essas energias massacrantes. Tentei no que pude interceder aos emissários do plano invisível e pedi proteção para aquele momento triste.

- Eu não suporto mais essa vida de infelicidade e agonia- Diz a mulher.
- Você terá o que merece sua ingrata! – Retruca o homem

Apodera-se de sua força descomunal e lança suas mãos brutas e calejadas sobre o franzino corpo daquela irmã incapaz, arremessando-a sobre o chão de concreto e espoliante. Apoiada em uma cadeira e toda cortada pela fricção ao chão, o amedrontamento e desespero bate em sua alma causando cicatrizes profundas de rancor. A dor do espírito transpassa as sensações físicas. A cegueira e a escuridão a corrompe sem piedade. Percebo que seu perispírito se transfigura em uma forma animalesca. Era sua forma animal predominante em seu íntimo que se revela, trazendo os instintos adormecidos pelas existências. Vejo em seus olhos uma chama latente de ódio. Larvas cintilantes derramam em formas de lágrima escorrendo por todo corpo espiritual já desfigurado. Sinto uma tempestade de sentimentos trevosos exalando daquela alma humilhada. Os gritos da criança se tornam convulsivos. Sua família está prestes à destruição. Fraco e impotente perante a situação deixaram-me levar em um desespero profundo. Uma sensação de inutilidade me abate causando aflição e frustração diante daquela cena.

Uma risada maquiavélica preenche o ambiente. Sem dó e nem piedade, o homem diverte-se exacerbando prazer pela sua covardia. Nunca houve carinho, amor ou cuidados com aquela família. Viveu a vida como um reprodutor sem sentimentos ao próximo. O egoísmo preencheu sua existência de prazeres e jogatinas. Cresceu e viveu como sempre foi. Um animal frio e impiedoso. E agora, desperta naquela mulher os instintos mais primitivos que o homem poderia externar. Aquela risada soou como um punhal penetrando em seu peito causando dores mais profundas e horripilantes. Nesse momento, uma força me arrebata para fora daquele recinto. São meus amigos benfeitores me privando do pior. Disseram que nada podiam fazer naquele momento e que só a providência divina poderia aparar aquela situação.

E como a maioria dos casos que ainda persiste em nosso planeta, o pior aconteceu. Ao longe, vejo a mulher se apoderando de uma faca doméstica. Sem notar o fato, o homem havia dado as costas a aquela mulher dilacerada. E com um movimento descontrolado, apunhala-o pelas costas ferindo seu coração e pulmão de imediato. Uma tempestade magnética toma conta do recinto o transformando em trevas profundas. Como se tivesse vida, aquela névoa toma formas dissonantes murmurando sons gélidos e trevosos: - Assassina...Assassina...ahahahahahah!

Mais uma vez, a morte e a invigilância destroem os lares de todo mundo criando mais débitos entre almas aflitas de luz. Sirenes e gritos percorrem aquela rua estreita e pobre. Multidões de curiosos se instalam em frente da casa. Passa a tempestade e as energias se dissipam como aves de gostos pútridos que saciaram sua fome e partiram sem deixar rastros algum.

O silêncio assombra aquela comunidade, mas um grito de socorro percorre ainda o ambiente. A de uma criança que sentiu em sua alma as dores da destruição causada pelas desavenças no lar. Mas Deus não nos abandona. Disseram-me aqui neste plano de amor que uma ótima família irá adotar aquela pequena criança e que ela será o anjo que resgatará seus pais das regiões infelizes da alma os iluminando nas passagens futuras das provas e expiações que causaram em si mesmos. E eu, fui designado a auxiliá-lo nessa missão como forma de praticar o amor e a benevolência que com muita satisfação a abracei nessa seara de amor. O otimismo sempre haverá de vencer no final das tempestades.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Sensações (parte II)














Outubro. Mês de meu aniversário. Presenteei-me com um apartamento que me fez mudar minhas sintonias. Sinto que agora posso cuidar do meu canto e da minha alma. Por incrível que pareça, eu arrumei o quarto. Isso é sinal de que quero dar uma certa organização na minha vida. Só que terei que manter organizado sempre, afinal, tem que zelar por isso.

Com certeza, mudar as coisas de fora da alma é importante para que enxerguemos melhor a vida e darmos mais atenção às aspectos que antes não via. Como é bom acordar cedo, abrir a sacada e dar de cara com uma piscina aos pés. Muito boa a sensação em conjunto com a brisa matutina. Deveríamos fazer isso sempre que possível. Esse tipo de cena só se vê em hotéis turísticos não é? A turma chega e abre a janela para sentir o novo espaço e a brisa do mar. Por isso eu repito, tentemos mais vezes isso em nossa própria casa.

Estou com problemas do cotidiano. Coloco ou não coloco internet em casa? Estou avaliando as possibilidades. Quando achar o que é mais necessário eu aviso vocês pelo blog. Que dificuldade é isso viu! Mas não seria ruim trocar a net pelos livros ou caminhadas noturnas, ou simplesmente, fazer amizade com vizinhos e convidar mais pessoas queridas para cozinhar com todos.

Espero que esse novo ambiente possa me dar visão das coisas e melhorar minha vida. Fatores assim sempre são importantes, mas preciso ajustar por dentro também, porque assim ficará claro que somente mudando por dentro é que mudamos o meio. Eu ainda quero acreditar que o meio pode influenciar as mudanças interiores. Se não vai pelo amor, vai pela dor.


segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Campos do Brasil















Vislumbrando os campos de trigo

Aguardo com paciência a colheita vindoura

Na esperança de tempos melhores


Ornamentos naturais de todos os tipos

Presenteia o cenário amarelo com enfeites consonantes

Colorindo a paisagem de minha morada


Distante, crianças a bailar

Cantando canções de minha infância

Enchendo o ambiente de ditosas melodias


Pássaros brancos rasgam o céu anil

Disseminando por campos mil

O germe do amor por todo Brasil


Nasce um novo dia

Trazendo a certeza da minha sementeira

Que com carinho a cultivei


Dias e noite se passam

Todos os tarefeiros de sangue trabalham

Imaginando o pão abençoado que revitaliza a vida


A brisa percorre os campos

Anunciando a chuva do horizonte

Refrescando o ar acalanto


Sol de quinta grandeza

Emana tua luz de extrema beleza

Energizando nosso Brasil de incomensuráveis riquezas

domingo, 20 de setembro de 2009

Harmonia




















Mais uma vez é fim do dia
Os primeiros pontos luminosos piscam no firmamento
Ao fundo se vê o lindo vermelho poente agradecendo as glórias
Osculando minha face de apreço e ternura

Chora cello melodioso
Contemple a vida com sua força sonora
Arrebate as minhas inquietações
Harmonizando meu espírito errante

Madeiras da floresta
Assoprem meus sentimentos infelizes
As transformando em cantos ditosos
Imortalizando a felicidade do momento

A claridade lunar candeia
Com raios azulados transpondo os galhos
Ilumina a densa selva
Orientando os caminhos a serem percorridos

Sons indescritíveis propagam aos céus
A Terra toca hinos de amor ao firmamento
Agradecendo as luzes do infinito
Que possibilita a vida em abundância

O silencio se torna orações
Eis que surge uma grande sinfonia
Os graves terrenos abrem a idéia
Sustentando os agudos nas moradas do éter

Não existem mais sons
O sentimento musical penetra o âmago do ser

A música executada não vibra mais em meus tímpanos
Sinto-a percorrer minhas entranhas
Instala-se aí a divina plenitude
Tomando meu ser de júbilos de alegria

Sentidos que tanto sonhava um dia
Foi na Terra que pude senti-los
Agradeço a Deus em todas as vidas
Por ter permitido que nessa casinha
Pude contemplar sua harmonia

Sensações (parte 1)














O tempo passa. Sinto que a vida está começando a cobrar atitudes mais objetivas e ponderadas.

Mais uma primavera se aproxima e a canção não para de tocar em minha mente relembrando harmonias ditosas de mentes que realmente colaboraram com sua arte de impressionar o mundo. Não quero defender nenhuma idéia neste texto, mas deixar as palavras fluírem como a brisa que percorre os diferentes lugares e contornos. O vazio ainda predomina minha alma, apesar de estar cheia de virtudes aprisionadas, nada fiz para que ela se liberte para a sociedade. Percebo que isso me chateia muito. Gostaria de ser uma pessoa melhor para todos.

Acredito que com a música posso recuperar a vontade de me apaixonar pelas coisas que valham a pena na vida. Quando eu escrevo, é nela que me agarro com unhas e dentes para que minhas crônicas e poesias possam sair do papel e chegar a suas mentes. Rossini foi um grande maestro no século XIX. Ao desencarnar deixou suas impressões sobre a verdadeira música. A “Música de Deus”. Seria ótimo poder ter mais sentidos para captar outras sensações indescritíveis que o mundo há de oferecer em nossa jornada de evolução. Enquanto não chega, sou iluminado por me dar o direito de ter um instrumento tão sublime como o clarinete. Instrumento esse que representa a floresta. Na minha mente, o clarinete é a alma da floresta. É nele que a harmonia das arvores frondosas se consolida. Sinto-me honrado de poder representar essa sensação aos ouvintes e a mim mesmo é claro.

Na maioria das vezes me sinto deslocado neste mundão. É uma sensação ruim. A impressão é que estou fora de sintonia com o meio. Não que eu seja esquisito, mas esse meio pra mim é muito caótico (o regionalismo).

Muitos amigos meus estão com seus afazeres e nunca mais os vi. Sinto muito a falta deles, mas tenho que compreender que nem todos manifestam o desejo de tomar atitudes e ligar ou mandar recados via internet perguntando se está tudo bem, como sempre haverá aqueles que não retornam suas mensagens (Esse é o que mais me incomoda). Ao mesmo tempo, apareceram pessoas bem especiais na minha vida. Mais uma vez a música me auxiliando, dando-me a oportunidade de tocar e fazer a harmonia acontecer com esses dois violonistas sendo que um deles também é clarinetista. Percebo que o caminho certo é esse. Talvez eu precise aprender que nada na vida é para sempre. Acho que tenho que agradecer os momentos que tive com esses amigos e tocar o barco. Nem a mãe consegue segurar seus filhos dentro de casa para sempre. É hora de me libertar dessa dependência e galgar novos horizontes. Tenho um costume ruim de viver de sentimentos vividos no passado. Tenho que aproveitar os que estão acontecendo agora. E será isso que irei fazer.

Bom. Nem sempre um blog será em terceira ou primeira do plural. Às vezes é necessário usar a primeira do singular. A conclusão é que preciso agir para sair daqui bem. Ser lembrado pelos feitos bons. Ao trabalho então! E salve Prokofiev!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Lixo Social




















São 2h e 10min da tarde em um ponto de ônibus da cidade. Em pleno dia de independência, comemorando a liberdade política e econômica brasileira de Portugal, deparo-me com algo triste que acompanha a realidade de nosso país. Acabara de ser lançado ao chão mais uma das situações medíocres e lamentáveis de nossa sociedade. LIXO.

Fico me perguntando e imaginando que um cidadão como este é responsável pelo futuro do Brasil. O ano que vem um “porcalhão” como este estará nas urnas decidindo nosso futuro. Que pesar que tenho de imaginar os nossos destinos! Um país de terras agricultáveis, de uma flora e fauna vasta, água em abundância e de um clima invejável a qualquer país de primeiro mundo ter que aguentar esse tipo de indiferença social? Caros leitores! Que tristeza me abateu diante daquela cena.

Criticamos políticos de serem inertes e egoístas. O que diferimos nós perante eles? Talvez as proporções ou volume de seus atos? Mas na essência, nada meu amigos. Somos a mesma farinha do mesmo saco. Não há educação cívica, perdemos o conceito de pátria, nossa nação está sendo esquecida pelo egoísmo em nossas atitudes.

Será que esse cidadão pensou que há gastos públicos para manter a cidade limpa e que sai do próprio bolso? Não só nesse caso. Orelhões danificados por vandalismo, praças públicas danificadas, excessivo volume sonoro provocando perturbações a ordem, projetos de construções desqualificados, etc. Eu sei que minhas palavras são apenas mais um texto dentre outros, mas aqui está minha contribuição de alertar mais uma vez. Por isso, antes de criticar a situação política, econômica e social de nossa nação, corrijamos a nós mesmos primeiro.

André Luís Salgado
Cidadão Santa-rosense

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Substantivos e imaginação














Carroça, cavalo e farinha

Mamão papaia, cerca e vizinho

Porco, água quente e torresmo

Sol, girassol e fritura


Porta, martelo e prego

Tampa, óleo, tampa e dobradiça

Tapete, botina e sujeira

Botina, pé e chinelo


Saco, farinha e cozinha

Pão, forno e manteiga

Café, água e bule

Xícara, aroma e paladar


Poente, sol e estrelas

Brisa, calmaria e fria

Chaminé, fogo e calor

Sozinho, livro e cidreira

Sono, cama e sonhos


Nem sempre precisamos de frases perfeitas para contar o cotidiano de nossas vidas.

É só usar a imaginação e visualizar os símbolos do dia a dia.


E aí! Conseguiram enxergar a narrativa dessa poesia?


Autor: André L. Salgado

domingo, 2 de agosto de 2009

Amor, sofrimento e perdão














Estamos em agosto. A vida é o exercício sublime de ação. Informações, amigos, relacionamentos e trabalhos. O cotidiano que engrandece dia após dia nos oferecendo o sal que tempera o ser.

Aflições, perturbações, dificuldades financeiras e insanidades. Fatores próximos que assolam vidas. Vivemos em estado de cobrança permanente. Aceleração do trabalho exigindo cada vez mais a atenção primaria dentre outras. Os estudos necessários para o aprimoramento profissional com imensas listas de trabalhos e provas aterrorizantes como se cada matéria fosse a única a ser desempenhada no mundo. Filhos e esposos que carecem da presença no lar, que cada vez mais se fazem necessária a participação efetiva nessa seara de bênçãos devido ao excesso de informações distorcidas que a mídia nos oferece pelos meios de comunicação mais modernos.

Vivemos em um momento de grande reforma íntima. Precisamos rever conceitos arcaicos que não fazem parte de nossas vidas. Carecemos de rever a etimologia das palavras Amor, sofrer e perdão. Três simbologias de uma profundidade sem precedentes. Nunca houve tantas oportunidades de praticá-las, vivenciá-las e exemplificá-las através de ações renovadoras. A humanidade carece de entendimento. Entendimento chave que abrirá portas para o novo porvir de paz e fraternidade.

A verdadeira guerra está no interior de cada homem. Batalhas necessitam serem lutadas pelas forças do amor, ensinadas pelo sofrimento e expurgadas pelo autoperdão. Desejamos melhores políticos, mas não cuidamos de nosso próprio lar. Queremos pessoas perfeitas a nossa volta, mas faltamos com nosso próximo. Exigimos com rigor de nossos funcionários, mas não gerenciamos de forma planejada as tarefas diárias. Pedimos um amor que nos dê o carinho necessário, mas não temos capacidade de nos amar.

O sofrimento é visto pelas várias sociedades de forma penosa e dura. Praticamente um castigo que alguns ousam a dizer que são até divinos. Muito pueril não? Ele é o convite ao nosso aperfeiçoamento interior. Nosso irmão valioso que nos alerta sobre nossas mais terríveis inclinações. É a esperança de dias melhores. Auxiliador de conflitos menos felizes preparando o caminho para o progresso. Ah se não fosse ele!

Perdoar é o exercício que realizamos não ao “eu”, mas ao ego que todos temos. O ego é o egoísmo e orgulho que fritam as mais ditosas idéias. A transformação do perdão se dá pelo exercício da humildade. Ela nos traz a reflexão de nossos atos. Trabalha a liberdade e aproxima os homens uns dos outros.

Mas nada adiantaria se não houver o amor. Ele é o alicerce da vida. O sustentáculo que valida todo o nosso sofrimento e perdão; Amor é ação sem dúvida. É o desejo do bem ao próximo. É dar sem esperar receber. A luz que norteia os propósitos da vida e do sentido de estarmos nela como seres que pensam e escolhem seus destinos. Com ele, compreendemos melhor nossas tarefas, as lutas, os irmãos desamparados, a ética social e nosso lar.

Força galera! Apesar dos pesares, somos seres privilegiados. Não entreguemos os pontos. Façamos as coisas com mais simplicidade e devoção. Colaboremos mais com o bem estar coletivo. Indiquemos melhorias. O mundo é nosso, e muito será cobrado por nós mesmos quando retornarmos e virmos que poluímos materialmente e mentalmente nossa própria casa. Aqui é lugar de trabalho e não para fazer turismo.


Ao sofrer, saiba perdoar quem te ofende com grande amor em seu coração.


Autor: André L. Salgado

Blogger news

About

Loading...

Blogroll

Pesquisar este blog

Blogger templates